Webmarketing

200 Ferramentas Top para Marketing Digital

Neste artigo são apresentadas 200 ferramentas recomendadas para Marketing Digital.

Google faz a seleção dos mais populares no Mundial

A Google divulgou a sua seleção dos melhores jogadores do Mundial 2014, até à primeira frase. A escolha dos atletas leva em consideração o ranking dos mais proc...

Marketing Digital quer especialistas

É uma das áreas emergentes e precisa de profissionais especializados. Um estudo do IPAM – The Marketing School, revela que a área do Marketing Digital está em c...

10 dicas para ser mestre de pesquisa no Google

Nem todos os utilizadores sabem como aproveitar o motor de busca da Google em pleno. Há pequenos detalhes que podem tornar a pesquisa mais eficaz e ferramentas ...

Página da NOS no Facebook: falta de ética ou polémica exagerada?

A marca que sucedeu à Zon Optimus viu-se envolvida numa nova vaga de acusações, desta vez por ter transferido de forma automática os Gostos das páginas das anti...
Page:   of 23 

 

Saber mais sobre o Workshop SEO

Digital Drink Porto

Digital Drink Lisboa

PWM is a Hootsuite Partner

Hootsuite Solution Partner

A interactividade e o webmarketing

 Por Carlos Ascensão

A Internet os Motores de Busca e os Utentes

 

O fenómeno da interactividade

Interactividade é a capacidade de intercâmbio dos intervenientes num processo de comunicação em que, por natureza, existem trocas e influências recíprocas, sejam eles humanos ou não. No caso das tecnologias de informação e comunicação gera-se um diálogo com o utilizador que envolve pelo menos duas acções em que pessoas, objectos e eventos se influenciam mutuamente (Filipe, 2008, pág. 31).

A interactividade e o webmarketing 

De acordo com Michael Moritz, investidor e membro do conselho de administração da Google, e da Yahoo!, as duas coisas que as pessoas mais fazem na Internet é comunicar e procurar informação (Vise, 2007, pág. 174).

Ao longo da história da humanidade criaram-se cinco meios de comunicação em massa (Ries, 2002b, pág. 126):

1.     O livro;
2.     O jornal;
3.     A rádio;
4.     A televisão;
5.     A Internet;

O livro multiplicou o número de pessoas que podiam ser alcançadas por um simples indivíduo. Não só se podiam partilhar ideias e conceitos entre milhões de pessoas, como também essas ideias e conceitos podiam transitar duma geração para a outra.

O jornal acrescentou o atributo das notícias. Muitas pessoas podiam partilhar os últimos eventos da sua cidade, país ou mesmo do mundo. Na sua essência o jornal adoptou o processo de impressão do livro e acelerou-o drasticamente. Enquanto um livro demorava meses a produzir um jornal era feito de um dia para o outro.

A rádio adicionou a voz humana. Notícias e entretenimento podiam ser comunicados com emoção e personalidade. Individualidades como Winston Churchill ou Franklin D. Roosevelt usaram o poder da emoção com extrema eficácia para comunicarem.

A televisão adicionou o atributo do movimento. Se quisermos, rádio com imagens em movimento.

E a Internet? Que atributo trouxe para o plano da comunicação? A história consagrará a Internet como o maior de todos os meios de comunicação da nossa era. E a razão é simples. É o único meio de comunicação em massa que, para além de permitir uma comunicação bidireccional, permite interactividade entre o utente e determinado objecto da sua atenção. São exemplos disso os fóruns, os newsgroups, as listas de discussão ou a simples exploração de um site, que permitem relações bidireccionais constantes, embora assíncronas (Martins, 2003, pág. 3).

Numa nota à imprensa lançada no dia 1 de Abril de 2004 a Google escreveu no título:

“A Busca na Internet é a Tarefa Número Dois
 A Tarefa Número Um é o E-mail”.
Esse comunicado destinava-se a anunciar o lançamento do Gmail, um serviço de webmail que na altura do seu lançamento disponibilizava espaço gratuito de 1000 megabytes, 500 vezes mais do que oferecia a Microsoft e 250 vezes superior ao espaço de arquivo oferecido pela Yahoo! À data em que escrevo o espaço já vai em mais de 7300 megabytes “and counting”, como se pode ver na página de abertura do Gmail  (Figura 1).

A interactividade e o webmarketing

 
A interactividade e o marketing

A Internet possibilita maior interacção e individualização quer a empresas quer a consumidores. Antes deste fenómeno as empresas remetiam as suas ofertas através dos meios tradicionais de marketing, tais como revistas, boletins informativos e anúncios. Hoje as empresas podem particularizar os conteúdos aos consumidores, os quais, por sua vez também podem personalizar os conteúdos que querem receber. Além disso as empresas podem comunicar e interagir com grupos muito maiores do que antigamente.

Actualmente o processo de troca é cada vez mais iniciado e controlado pelo cliente. É este que convida as empresas e aproximarem-se e a participar na troca de informações.

Para Kotler (2006d, pág. 615) o marketing interactivo proporciona muitos benefícios específicos. Exemplos:

  • Os seus efeitos podem ser medidos e identificados facilmente;
  • Os anúncios publicitários podem ser contextualizados a partir de keywords que os utilizadores insiram nos motores de busca;
  • A Internet é particularmente eficaz para alcançar as pessoas durante o dia. Isto permite alvejar o mercado, em circunstâncias diferentes das tradicionais;
  • Consumidores jovens com poder aquisitivo e boa escolaridade, tomam mais decisões de compra pela Internet do que pela TV.

   

Poderá ainda ter interesse nos seguintes temas:

Poderá ainda ter interesse nos seguintes temas:
   

Autor Carlos Ascensão