Webmarketing

200 Ferramentas Top para Marketing Digital

Neste artigo são apresentadas 200 ferramentas recomendadas para Marketing Digital.

Google faz a seleção dos mais populares no Mundial

A Google divulgou a sua seleção dos melhores jogadores do Mundial 2014, até à primeira frase. A escolha dos atletas leva em consideração o ranking dos mais proc...

Marketing Digital quer especialistas

É uma das áreas emergentes e precisa de profissionais especializados. Um estudo do IPAM – The Marketing School, revela que a área do Marketing Digital está em c...

10 dicas para ser mestre de pesquisa no Google

Nem todos os utilizadores sabem como aproveitar o motor de busca da Google em pleno. Há pequenos detalhes que podem tornar a pesquisa mais eficaz e ferramentas ...

Página da NOS no Facebook: falta de ética ou polémica exagerada?

A marca que sucedeu à Zon Optimus viu-se envolvida numa nova vaga de acusações, desta vez por ter transferido de forma automática os Gostos das páginas das anti...
Page:   of 23 

Saber mais sobre o Workshop SEO

3º Digital Drink Porto

7º Digital Drink Lisboa

PWM is a Hootsuite Partner

Hootsuite Solution Partner

A morte das Meta Keywords

 Por Carlos Ascensão

Quando a Internet ainda se encontrava na “Idade da Pedra” (em meados dos anos 90 do século passado), um dos factores mais considerados pelos motores de busca na indexação e catalogação dos sites eram os dados colocados no “código fonte” da página, designadamente na Tag Meta Keywords.

A morte das Meta Keywords 

Os webmasters depressa entenderam que, independentemente do conteúdo ou propósito do site, se eles enchessem as Meta Keywords com quaisquer palavras que lhes ocorresse, as visitas ao site aumentavam substancialmente, pois os motores de busca atribuíam muita importância a esta informação, apresentando na página de resultados os sites que contivessem nas Meta Keywords as mesmas palavras do que as pesquisadas pelos utilizadores.
E atrás desses “truques” vieram espertezas saloias como “texto escondido” (por exemplo, da mesma cor do fundo da página) e outras pérolas do género.
Foi uma fase negra para o negócio dos motores de busca.
Tudo isto mudou quando Larry Page, fundador do Google, inventou um algoritmo (Page Rank) que detectava esses procedimentos (apelidados de “Black Hat”) e os bania ou penalizava no ranking das páginas de resultados.

Alguém se lembra do Alta Vista?

Foi por se ter deixado ultrapassar pelo Google sem nada ter feito a este respeito que a Alta Vista praticamente desapareceu.
Porquê?
Porque numa era em que os resultados da busca eram, genericamente, de baixíssimo nível, aparece do meio das trevas um “player” com um nível de resultados muito satisfatório, que não parou de melhorar. E os outros pouco ou nada fizeram.
O Google surge com uma oferta de valor abissal face à concorrência. Este facto espalhou-se pelo planeta com uma velocidade tremenda e o mais fantástico é que ocorreu sem qualquer esforço publicitário.
Autor Carlos Ascensão