Webmarketing

200 Ferramentas Top para Marketing Digital

Neste artigo são apresentadas 200 ferramentas recomendadas para Marketing Digital.

Google faz a seleção dos mais populares no Mundial

A Google divulgou a sua seleção dos melhores jogadores do Mundial 2014, até à primeira frase. A escolha dos atletas leva em consideração o ranking dos mais proc...

Marketing Digital quer especialistas

É uma das áreas emergentes e precisa de profissionais especializados. Um estudo do IPAM – The Marketing School, revela que a área do Marketing Digital está em c...

10 dicas para ser mestre de pesquisa no Google

Nem todos os utilizadores sabem como aproveitar o motor de busca da Google em pleno. Há pequenos detalhes que podem tornar a pesquisa mais eficaz e ferramentas ...

Página da NOS no Facebook: falta de ética ou polémica exagerada?

A marca que sucedeu à Zon Optimus viu-se envolvida numa nova vaga de acusações, desta vez por ter transferido de forma automática os Gostos das páginas das anti...
Page:   of 23 

Saber mais sobre o Workshop SEO

Digital Drink Porto

Digital Drink Lisboa

PWM is a Hootsuite Partner

Hootsuite Solution Partner

 

O que distingue o Google dos outros motores de busca?

Por Carlos Ascensão 

Na altura em que o Google foi criado, os líderes do mercado da busca (Altavista, Yahoo, Ask, etc.) estavam essencialmente focados no tamanho e na quantidade. Importava indexar o máximo possível de páginas da Internet que crescia a uma velocidade vertiginosa.

Larry Page, co-fundador do Google, estava obcecado com uma questão completamente diferente: a qualidade da busca. Para ele importava classificar as páginas de forma a colocar no topo dos resultados as mais relevantes.

 O que distingue o Google dos outros motores de busca?

O que fascinou particularmente Page foi o que ele viu como uma fraqueza fundamental no desenho original da World Wide Web feito por Tim Berners-Lee em 1990. Era possível ver para onde apontavam os links dum site. Mas não era possível saber que links apontavam para esse site. Não era possível aferir a existência de “Back Links”.

Daí Larry Page e Sergey Brin terem escolhido em 1996 o nome BackRub para o sistema que mais tarde mudou o nome para Google.

O BackRub catalogava os todos os links da Web, após o que aferia que sites tinham mais “autoridade” em geral e “autoridade” num determinado tópico, mercê da quantidade e “autoridade” de links externos que apontavam para eles.

Page criou assim o primeiro sistema de rastreamento e classificação de sites com base nos links.

Sublinhe-se que na altura os outros motores de busca “acreditavam” nas keywords que os webmasters atafulhavam no código-fonte dos sites, facto que lhes permitia manipular facilmente a presença nas páginas de resultados e que tinha como efeito óbvio uma fraquíssima qualidade de resultados.

Daí o sucesso explosivo do Google mal apareceu em 1998.

Actualmente o Google mantém a sua posição de liderança no mercado da busca, fruto duma postura de melhoria contínua. O expoente máximo dessa procura permanente por novas ideias e soluções materializa-se no Google Labs, donde saíram invenções com repercussão mundial, como o Google Earth, Google Maps, Google Docs, GMail, etc.

E o mais impressionante disto tudo é o preço: zero!

Autor Carlos Ascensão